Um baiano que conta ‘histórias’ e mostra as belezas de sua Terra

Publicitário de formação, mas segue sua trajetória como apresentador de TV, cantor, compositor, escritor, palestrante, educador, ator, radialista e como ele mesmo gosta de frisar ‘contador de história’. Sem dúvida, esse é um nome que futuramente estará emprestando seu talento à alguma das grandes emissoras de tv do país… Matheus Boa Sorte.

Embora incorpore o ‘boa sorte’ no nome, a sua carreira não é um acontecimento do acaso. Ao contrário, tem sido pautada por muita inspiração e transpiração. Fruto da determinação de quem sabe o que quer e corre atrás. Assim é a saga desse brilhante profissional nascido na cidade de Guanambi, no sertão baiano.

O filho casula do sr Vá Boa Sorte e d. Mara, preferiu acreditar na profecia de sua avó Amélia e seguiu rumo aos seus objetivos. Contrariando as expectativas de seus pais e ‘amigos’, que sugeriam à ele, estudar para ser um advogado, engenheiro ou medico, o menino prodígio resolveu trilhar outros caminhos, para realizar o seu sonho: ser cantor e apresentador de tv.

Aos 7 anos escreveu seus primeiros versos. “Eu sempre gostei muito de ler. Sempre fui curioso demais. Eu fiz minha primeira poesia aos 7 anos, numa aula de português na escola. E isso é uma das raras lembranças que eu carrego das minhas primeiras séries. Ela falava sobre o Rio São Francisco“, revela Matheus em um vídeo gravado para seu canal no YouTube.

O que fazia brilhar seus olhos, desde criança, era algo que ele acredita ter vindo como um sinal do céu, “quando eu tinha 10 anos, eu acho que Deus tentou sussurrar algo em meu ouvido, que eu demorei muito para escutar. Aos 11, no colégio, a professora perguntou o que cada um queria ser quando crescesse… eu contrariei todo mundo e disse que queria ser cantor de forró e apresentador do SBT”.


Por causa dessa resposta, o pequeno sertanejo passou a ser ‘zoado’ por seus colegas e até aconselhado por alguns ‘amigos’, a desistir daquele sonho, “isso me fez ser motivo de piada por muito tempo. Lembro que um amigo me disse que por eu ser do Sertão, eu teria que estudar mais e pensar menos em arte e em sonhos. Segundo ele, matuto nasceu para ser matuto e só com uma profissão reconhecida, eu mudaria isso. Foram dias difíceis, mas eu não baixei a minha cabeça“, desabafa.

Sem dar ouvido aos arrefecedores de sonhos, Boa Sorte seguiu seu instinto e naquele mesmo ano, buscou numa rádio comunitária de sua cidade, dar seus primeiros passos na área da comunicação. Iniciando como comentarista de futebol. “E desde então, eu nunca mais parei de comunicar e contar histórias“.

Mesmo sendo criticado pelos amigos, ele não desanimou. “As criticas vinham de perto e também de longe. Na minha cidade, não foram poucos, os que, naquela época, diziam que eu não tinha talento e que nunca iria conseguir. Mas eu seguir e por muitas vezes eu cair. Muitas mesmo, difíceis até de contar“.

Foi principalmente nesse momento de sufoco, que ele sentiu na pele e na alma, a frieza das pessoas que o cercavam, “eu comecei a ver muita gente se afastando de mim. A cada tropeço, quando eu desejava escutar… levanta e tenta novamente, o que eu ouvia era… eu te avisei que isso não ia dar certo“.


Se as coisas pareciam difíceis, aos 19 anos, a situação piorou ainda mais, tanto financeira, quanto emocionalmente. “Aos meus 19 anos, passei por uma dificuldade financeira grande e fiquei doente, com uma tristeza enorme. Perdi grana, perdi amigos, perdi a admiração de muita gente, perdi a namorada. Mas eu não perdi a vontade de seguir em frente“, relembra Matheus.

Essa vontade de vencer, o motivou. E encontrou nas palavras de sua avó, a força e coragem para buscar o sucesso. “Eu sempre tinha em mente a imagem da minha avó Amélia. Ela foi o anjo da guarda que eu tive na minha jornada e que, aos 100 anos de idade, antes de falecer, me disse: – meu filho, suba as montanhas e nunca desista antes de chegar ao troféu que está no topo te esperando“.

Hoje, aquele garoto que sente correr nas veias o sangue guerreiro do sertanejo, superou as adversidades e orgulha-se em ver seus projetos gerando os frutos desejados.

.

Contando Histórias (Dendê na Mochila)


E contando histórias, ele te leva numa viagem ‘sem sair de casa’, para mostrar, com um talento peculiar, as belas paisagens e cultura da região, além da criatividade e resistência de uma gente simples, alegre e batalhadora.

As narrativas acontecem em seu programa Dendê na Mochila (aos sábados as 12:30 na TV Aratu) e no canal do mesmo nome no YT.

Em cada episódio, ele mostra pontos turísticos, plantações, a terra seca do sertão, a deliciosas culinárias e após uma boa prosa, sai com a mochila cheia da rica sabedoria daquela gente que tem muito a nos ensinar.

Nesta foto, ele demonstra simplicidade e parece embebecido com as palavras do sr Antônio. “Sertão de encontros, lembranças e aprendizados“, descreve.

Na nova versão do programa, ele também faz imersões pelas belezas e culturas de outras partes da Bahia, Brasil e até de alguns países da América do Sul.

Mais um rapel pra conta […] Dessa vez por terras mineiras, em Lapinha da Serra, município de Santana do Riacho” […] “CARTAGENA Viva as cores da Colômbia! Viva a simpatia e alegria dos nossos irmãos de América“!

.

Realização do sonho


Feliz da vida com a realização do seu sonho, ele não se cansa de contar os momentos emocionantes que acontecem em cada gravação do programa, em cada show e com cada pessoa com quem teve a oportunidade de entrevistar em suas expedições por aí.

Entre os fatos clicados e filmados por ele e equipe durante sua trajetória até aqui, a imagem abaixo é na sua visão, a que melhor representa sua incursão desbravadora.

Dia desses um amigo me perguntou qual foto mais marcava a minha vida. Na hora eu até tomei um susto. […] Já haviam me perguntado muita coisa nessa vida, mas nunca algo assim…”


Essa foto, tirada pelo amigo irmão @hermesonmanoel (o famoso chocolate), foi feita no interior rural de Barra da Estiva, nas proximidades da comunidade do Ponto Velho. O ano era 2017, e por mais uma vez eu colocava o pé na estrada para contar as histórias da nossa gente“.

A caminhada ainda é longa. Mas que bom que aquela criança teve forças para não desistir. O cara que era tachado como ‘sonhador’, realizou o seu sonho. Durante a jornada eu foi me adaptando, me encontrando entre as falhas, amadurecendo e dando pra mim mesmo, motivos para não mudar o meu caminho. Alguns vão dizer que foi sorte, eu digo que foi coragem“.

E finaliza… “agora eu vejo que Deus sempre sussurrou que a minha missão aqui na terra é fazer o que faço hoje e estimular outras pessoas a fazerem o mesmo“.

.

O cantor


Matheus também realizou o sonho de se tornar cantos. E junto com sua banda, já tem várias músicas gravadas e disponíveis nas principais plataformas de streaming.

Ao voltar pra música e gravar meu primeiro clipe desse recomeço, quis vestir a camisa do sertão, como em tudo o que faço na vida. Nosso disco respeita a tradição da música que é patrimônio da nossa região. Nossas letras são carregadas de poesia, como é típico desse matuto que vos escreve“.

*Crédito das Fotos@matheusboasorte

Deixe um COMENTÁRIO sobre o post que você leu e ou assistiu

%d blogueiros gostam disto: