Suits: uma série que inspira amantes ou não, da advocacia corporativa

Para os amantes da advocacia e negociações corporativas, ou quem, simplesmente curte uma boa trama, a série Suits (Homens de Terno) que já foi exibida pela USA Network e atualmente está na Neteflix (dublado), é o que podemos chamar de uma inspiradora aula na aplicação do direito. Apesar de cometer alguns excessos no afã de ganhar causas e poder, não perde seu brilho e excelência.

A trama acontece especialmente no estiloso escritório Pearson Hardman, em Nova Iorque (que só aceita profissionais formados em Harvard), gerenciado pela dra Jéssica Pearson (Gina Torres) e tem como protagonistas, Harvey Specter (Gabriel Swann Macht) um advogado experiente e exímio negociador, que busca urgentemente um sócio júnior (uma espécie de ‘clone’ de si mesmo, para atuarem juntos) e Mike Ross (Patrick Adams), um rapaz ‘trapaceiro’, inteligente e dono de uma memória fotográfica invejável.

Porém, Mike não cursou a faculdade de direito. Mas, por obra do acaso, aparece no local onde Harvey está selecionando os candidatos à vaga de sócio, ao fugir de uma emboscada policial. E após um rápido teste, acaba sendo o escolhido e começa a trabalhar como o novo advogado do Pearson. E a partir daí, muita coisa acontece.

Confira aí o trailer

Também merecem destaques, as personagens Donna uma incrível secretária, intuitiva e com interesses ambiciosos. Louis kissing, um advogado estranho e um tanto excêntrico. E Rachel (Meghan Markle que em 2018, casou-se com o príncipe Henrique, filho da princesa Diana), uma jovem assistente, filha de um advogado concorrente, mas optou estagiar no escritório Pearson, onde conhece Mike e ambos se apaixonam.

Mesmo numa atmosfera tensa e dramática que envolve um cenário de negociações jurídicas, Suits (em sua nona temporada) não deixa de ter boas doses de humor e adrenalina.

Apesar de o foco ser negociações jurídicas empresariais, a trama também aborda questões sociais e raciais. Nessa última, vale ressaltar a representatividade dos negros tanto no elenco, quando em seus respectivos papeis. Principalmente em se tratando dos EUA, onde a discriminação racial é muito forte.

Crédito da Foto: Internet

Deixe um COMENTÁRIO sobre o post que você leu e ou assistiu

%d blogueiros gostam disto: