Psicológicos de crianças e jovens nessa pandemia: USP e HC fazem pesquisa

Um levantamento vem sendo realizado por um grupo de pesquisadores da área de saúde mental e desenvolvimento infantil da Disciplina de Psiquiatria da Infância e Adolescência do Departamento e Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, para identificar os principais impactos psicológicos da pandemia do novo coronavírus, na saúde de crianças e jovens de 5 a 17 anos, em todo território nacional.

Aprovado pela Comissão de Ética para Análise de Pesquisas das instituições acima, o projeto é coordenado pelo Professor Dr. Guilherme Vanoni Polanczyk e tem como objetivo, avaliar as emoções e comportamentos dessa moçada no contexto da covid-19, aqui no Brasil.

Esse estudo, segundo consta, já vem acontecendo em diversos países, na tentativa de entender as necessidades desses jovens e notificar governos e escolas para implementação de políticas públicas de auxílio à esse público.

Em entrevista à rádio CBN SP na manhã deste domingo (11), Polanczyk convocou os pais para participarem do projeto, descrevendo as alterações percebidas no comportamento de seu(a)s filho(a)s nas faixas etárias indicadas, durante esse período de distanciamento e isolamento social, bem como, informando sobre o desempenhos deles nas atividades escolares dessa nova modalidade de ensino remoto, ocasionado pelo covid-19.

O professor destacou também, alguns dos fatores que podem indicar sinais de preocupação e que merecem atenção especial: ansiedade, irritação, isolamento e, no caso dos filhos pequenos, a insistência em querer dormir na cama dos pais.

A pesquisa que teve início em junho, permanecerá monitorando esse pessoal por 12 meses. Segundo informações, até o momento, cerca de 3000 crianças e jovens já estão sendo avaliadas em todo o país. A ideia é fazer esse mapeamento em todas as classes sociais e, “ao identificarmos que a criança ou adolescente apresenta algum quadro grave, você será imediatamente notificado e será oferecido atendimento no Serviço de Psiquiatria da Infância e Adolescência do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas“, explicam os organizadores.

Como participar

A contribuição dos pais é fundamental para a obtenção do resultado da pesquisa. Lembrando que essa iniciativa é voluntária e os dados devem ser informados com clareza.

O projeto dispõe do site jovensnapandemia.com.br onde constam todas as informações necessárias. E os pais interessados em participar, basta clicar aqui nesse link ou ir diretamente no site, clicar em Participe da Pesquisa e seguir as instruções.

Os organizadores afirmam que os dados de seus filhos serão mantidos em sigilo. “Após iniciar sua participação e preencher os dados, você receberá por e-mail informações sobre como estão os comportamentos do seu filho(a) comparados aos padrões na população. Os dados do seu filho(a) estarão disponíveis apenas para você“, garantem.

*Crédito das Imagens: @jovensnapandemia

Deixe um COMENTÁRIO sobre o post que você leu e ou assistiu

%d blogueiros gostam disto: