O preço médio do self-service em São Paulo, segundo pesquisa

A cidade de São Paulo é conhecida, entre outros adjetivos, como a capital da gastronomia. Quem mora e trabalha por aqui, normalmente costuma almoçar naquele restaurante mais próximo do serviço. Pesquisa mostra o preço médio do self-service por região da metrópole.

O levantamento foi feito pelo Núcleo de Inteligência e Pesquisas da Escola de Proteção e Defesa do Consumidor do Procon-SP. E nele constatou-se que ‘a refeição nos restaurantes self-service por quilo, custa em média R$ 52,98. Já nos estabelecimentos self-service com preço fixo, o valor médio é R$ 28,06‘. O órgão responsável pela pesquisa é vinculado à Secretaria da Justiça e Cidadania.

Segundo a postagem no portal do Procon, os profissionais ouviram por telefone no mês de janeiro deste ano, cerca de 350 proprietários e ou gerentes de restaurantes da capital.

“Os restaurantes da região norte são, em média, os que cobram menos pelo quilo da comida (R$ 47,63) e os do centro são os mais caros (R$ 56,96), uma diferença em valor absoluto de R$ 9,33 (↑19,59%). Também na zona norte estão os self-service com preço fixo que, em média, cobram menos (R$ 21,16) e os da zona sul estão os de preço mais alto (R$ 32,03) – diferença de R$ 10,87 (↑51,37%)”, aponta a pesquisa.

Confira no link, o infográfico com os dados por região…

 

Direito do Consumidor

Outro detalhe para o qual o Procon chama à atenção do consumidor, é para que fique atendo aos seus direitos.  Evitando assim, ser explorado nesses estabelecimentos.

“O consumidor deve sempre avaliar o preço aliado à qualidade oferecida. O pagamento da gorjeta não é obrigatório, é uma opção do consumidor. O estabelecimento deve informar claramente o valor e que seu pagamento é opcional. Não pode ser apresentada essa taxa se não houve efetiva prestação de serviço. Não pode ser cobrada taxa de desperdício do consumidor que deixar sobras de refeição em seu prato”.

Além disso, a forma de pagamento é outra questão abordada pelo órgão “o pagamento por meio de vale-refeição pode ser recusado, a aceitação como forma de pagamento não é obrigatória. No entanto, se houver adesivos ou outra forma de comunicação sugerindo sua aceitação, não pode ser recusado. Sua aceitação não pode estar condicionada ao valor consumido, nem ficar restrita a determinado dia, data ou horário”.

E diz mais… “Os estabelecimentos que oferecem refeições por quilo não podem: a) informar o preço apenas ao equivalente a 100g; b) deixar de informar o valor da tara (peso do prato); c) veicular informação que não corresponda ao valor mostrado na balança. É proibido veicular promoção informando apenas que é por tempo limitado, sem apresentar a data de seu término”, finaliza.

 

*Crédito das Imagens: Internet

Deixe um Comentário (clique abaixo e comente).

%d blogueiros gostam disto: