Netflix doa R$ 3 milhões para produtores negros do audiovisual do Brasil

A Netflix, principal plataforma de streaming mundial, anunciou nesta terça-feira (10), a doação de R$3 milhões ao FAPAN (Fundo de Amparo aos Profissionais do Audiovisual Negro), para produtores negros autônomos ou grupos representativos, de todo o Brasil (cada um receberá um valor, depositado em uma conta indicada), que estejam desenvolvendo algum projeto nessa área e não dispunham de recursos para sua execução.

De acordo com a empresa, essa iniciativa faz parte de um fundo de 150 milhões de dólares, criado por seus investidores para apoiar o setor produtivo do audiovisual, nos mais de 20 países onde ela tem uma grande base de produção e que esteja em dificuldade, especialmente nesse período de pandemia.

Um ano após a pandemia ter abalado profundamente a comunidade criativa ao redor do mundo, e em meio a uma nova onda no Brasil, nós, da Netflix, reconhecemos a importância de apoiar profissionais e organizações do audiovisual negro e suas permanências no mercado audiovisual“, diz a plataforma.

Com essa ação, a Netflix espera atender 875 profissionais autônomos e 275 representantes legais de empresas do setor. Se você se encaixa nesse contexto, deve ficar atento às inscrições e regulamento do projeto (confira abaixo).

Focado na geração de oportunidades, R$2 milhões foram destinados à APAN, Instituto Querô, Instituto Criar e Instituto Nicho 54, para programas de mentoria, treinamento e capacitação de talentos negros em todo o país’ enfatiza a doadora.

Confira esse tutorial do Instituto Criar…

.

Inscrições

.

Conforme seu anunciado, a Netflix ressalta: “vidas negras importam e suas histórias também. Esperamos que essas iniciativas, somadas a tantas outras que ainda são necessárias, possam reduzir um pouco as desigualdades e fazer com que essas potências, espalhadas pelo Brasil, se encontrem e ampliem suas vozes. Assim, mais brasileiros também poderão se ver refletidos na tela“.

As inscrições para os interessados em receber os recursos, estarão abertas a partir do dia 21 deste mês (Dia Internacional contra a Discriminação Racial) até 4 de abril.

Se você acredita no seu potencial e tem um projeto no papel, acesse o regulamento e se informe melhor, clicando neste link. E para se inscrever clique aqui ou siga as instruções contidas no conteúdo do link anterior.

“[…Com toda a sua pluralidade de vozes, rostos e sotaques, abrimos caminho para repensar o audiovisual brasileiro negro. Somos a primeira ou talvez segunda geração de criadores pretos brasileiros que têm a oportunidade de derrubar os muros que nos separam de uma narrativa verdadeiramente plural. Palavras como diversidade e representatividade não dão mais conta da multiplicidade da negritude. Nossas histórias são urgentes, ao passo em que mais pessoas querem se ver refletidas em diferentes telas…]”, Rodrigo Antonio, sócio-diretor da Associação dos Profissionais do Audiovisual Negro.

*Crédito da Imagem: Reprodução / Divulgação

Deixe Seu Comentário (digite abaixo)

%d blogueiros gostam disto: