Compositor baiano aciona deputada na justiça, pelo uso indevido de “Milla”

O compositor baiano Manno Góes, autor da música Milla, sucesso na voz de Netinho nos anos “90”, acionou na justiça, a deputada Carla Zambelli, por postar em suas redes sociais, um vídeo com o cantor interpretando trecho do hit, em um ato favorável a Bolsonaro no último dia 1º, em São Paulo.

A ação corre na Justiça da Bahia, onde o autor pede indenização por danos morais e materiais pelo uso da música sem sua autorização.

De acordo com matéria publicada nesta sexta-feira (7), pelo Portal G1, “tudo começou quando a deputada filmou Netinho cantando a música na Av. Paulista, em São Paulo, no sábado (1)“.

A princípio a parlamentar foi notificada para retirar o vídeo do ar. Porém, ainda não havia cumprido a determinação. Por isso, a indenização pode chegar a R$200 mil por danos morais, pelo uso indevido da música e sua vinculação à ideologia política, sem autorização do autor. Além disso, há multa diária de R$5 mil, enquanto o vídeo permanecer no ar.

.

As partes

.

O ato político aconteceu na Avenida Paulista, em São Paulo, com manifestações dos apoiadores do presidente Jair Bolsonaro, onde a deputada filmou Netinho fazendo um discurso e convidando o público à cantar com ele, trecho de “Milla”, seguido do grito “eu autorizo”.

No dia seguinte, Góes usou sua conta no Twitter para fazer duras criticas a atitude do cantor e falar do procedimento judicial impetrado…

https://twitter.com/_mannogoes/status/1388849258690977798

Eu não posso proibir ninguém de cantar uma música minha. O que o autor tem direito é de impedir de que essa música esteja vinculada com uma forma de divulgação que ele não concorde“, disse o compositor ao G1.

E sobre ter chamado Netinho de ‘débil mental’ , ele ponderou e desculpou-se. “Compreendo e peço desculpas a todos por ter usado ‘débil mental’ para me referir ao cantor golpista. Agradeço a todos que me chamaram atenção, mesmo apoiando meu desabafo. Estamos aqui para aprender e melhorarmos como pessoa. É o que quero pra mim: aprender, evoluir, consertar“.

Por sua vez, a deputada Zambelli, também em entrevista ao G1, na segunda-feira (3), afirmou está analisando a notificação e a postagem do compositor no Twitter. “Eu estou pensando duas vezes em tirar esse vídeo e pensando sinceramente, em, entre aspas, ‘ir para o pau’. Porque a forma como ele tratou o Netinho me incomodou muitíssimo”.

Com relação ao termo usado pelo compositor para tratar o colega músico, a parlamentar disse: “Não se trata ninguém dessa forma. Eu não trato nem meus inimigos dessa forma. Então talvez eu não atenda o pedido dele e espere ele me acionar na Justiça. Aí a gente vê como a gente resolve“.

O portal também ouviu o advogado do autor, Rodrigo Moraes. “Não é censura. Ele não está impedindo de fazer shows e tocar música para seus fãs. O que não pode é utilizar uma obra com finalidade política. Para isso há uma necessidade de autorização“, disse ele. E emendou… “O que a deputada Carla Zambelli faz é lastimável: uma pessoa que, mesmo que notificada, continua com o vídeo. Uma parlamentar que é a primeira a rasgar a lei de direitos autorais“.

Segundo o G1, Netinho optou por não comentar sobre a repercussão do caso.

*Créditos das Imagens:

**Foto do Topo: Reprodução TVE

***Foto Central: Reprodução Redes Sociais da Parlamentar

Deixe Seu Comentário (digite abaixo)

%d blogueiros gostam disto: